KDE ou Gnome? Quais são as principais diferenças?

KDE ou Gnome? Qual escolher? O KDE e o Gnome não são apenas interfaces gráficas em ambiente Linux, estes contam com um conjunto de bibliotecas, ferramentas de desenvolvimento e vários programas que facilitam o uso e configuração do sistema. Com exceção do Kernel e drivers, tanto o Gnome quanto o KDE são praticamente sistemas operacionais completos.

KDE ou Gnome, quais são as principais diferenças?

kde ou gnome

KDE ou GNOME

As principais diferenças entre o KDE e o Gnome são a biblioteca que usam e a filosofia de desenvolvimento. O Gnome é baseado na biblioteca GTK2, enquanto que o KDE usa a Qt. O KDE segue uma filosofia “mais é mais”, onde temos um ambiente com muitas opções de configuração e o máximo de recursos possível, que agrada aos usuários avançados. O Gnome por sua vez utiliza uma filosofia “menos é mais”, onde os aplicativos e menus conservam apenas as opções mais usadas e mais importantes, de forma a facilitar o uso, o que por sua vez faz torna o uso inicial do sistema mais simples, o que agrada muitos aos iniciantes.
Nada impede que use aplicativos do KDE no Gnome ou vice-versa, mas existe uma certa penalização em termos de desempenho. Ao Misturar aplicativos dos dois ambientes o sistema precisa manter as duas bibliotecas carregadas, o que consome mais memória RAM e processamento. Os próprios aplicativos demoram mais para carregar fora do seu ambiente, pois é preciso primeiro carregar as bibliotecas e outros componentes necessários para depois começar o carregamento do aplicativo em si. Em relação ao aspecto visual: os aplicativos do KDE e do Gnome possuem uma aparência bastante diferente, o que faz com que os programas de um fiquem um tanto quanto desfocados ao serem abertos no outro.

Devido a tudo isso, a maior parte das distribuições adopta por um dos dois ambientes como padrão e centraliza o desenvolvimento em torno dele, dando preferência aos aplicativos e ferramentas de configuração desenvolvidas para ele.

Enquanto o KDE adopta por padrão um visual mais “Windows”, o Gnome diferencia-se por usar um visual mais ao estilo do “MacOS”, com a barra de menu no topo da tela e uma segunda barra com as janelas abertas na parte inferior.

O gerenciador de arquivos por defeito do Gnome é o Nautilus. Ele oferece um conjunto de recursos bastante interessante, com pré-visualização de arquivos, opções de filtros, comentários para pastas, etc. Ao contrário do Konqueror, que também é navegador, o Nautilus concentra-se na tarefa de gerenciador de arquivos, este deixa o utilizador escolher o navegador que prefere dentro dos disponíveis.

Pode notar que, mesmo como gerenciador de arquivos, o Nautilus oferece uma quantidade muito menor de opções e recursos que o Konqueror, fazendo com que muita gente que vem do KDE, ou mesmo do Windows estranhe bastante. Novamente, caímos na questão do “mais” ou do “menos”: o Nautilus oferece menos opções mas em geral é mais simples de usar, o que faz com que algumas pessoas sejam mais produtivas com ele.

Tanto o KDE e Gnome podem ser personalizadas para se comportarem exatamente da maneira que desejar. O melhor ambiente de trabalho é a sua própria escolha e preferência.

Bibliografia:

GDH Press

Facebook
Google+
http://faqinformatica.com/kde-ou-gnome/
LinkedIn
Follow by Email
RSS

Deixe um Comentário