WEP, WPA (TKIP) e WPA2 (AES): quais as diferenças e qual o melhor?

Há duas formas principais de configurar técnicas de segurança de rede. A primeira é através do uso da criptografia e chave de acesso. A segunda é configurar a firewall.

As configurações de criptografia e chave de acesso à rede visam dar proteção à rede contra o acesso de pessoas não autorizadas.

Por norma as opções para o tipo de criptografia que podem ser usadas são: WEP, WPA (TKIP), WPA2 (AES) e WPA Mixed. Vejamos o que significa cada uma dessas siglas:
- WEP: Wired Equivalent Privacy.
- WPA: Wi-Fi Protected Access.
- TKIP: Temporal Key Integrity Protocol.
- AES: Advanced Encryption Standard.

O padrão de encriptação WEP é um dos primeiros a ser usado em redes sem fio, faz parte do padrão IEEE 802.11, portanto é usado por produtos desse padrão, foi validado em 1999. Apesar de ser muito usado até os dias de hoje, principalmente em uma tentativa de se manter a compatibilidade entre todos os nós, ele possui muitas vulnerabilidades e falhas, o que permite a hackers façam ataques bem sucedidos à rede, desde captura de mensagens até autenticação à rede.

Graças a todas essas falhas e vulnerabilidades, foi criado em 2003 o WPA, como forma de corrigir todas as falhas WEP e permitir uma maior segurança da rede. Desse modo, ele é na verdade um WEP melhorado. No geral, pode-se usar o WPA em redes que possuam WEP. O mecanismo para a criação de chaves de cifra dinâmicas e para a autenticação é o TKIP.

Já existe a segunda geração do WPA, chamada WPA2, que possui um nível de segurança ainda maior, o suficiente para ser usado, por exemplo, por organismos governamentais, onde o nível de segurança deve ser muito elevado. Isso graças ao AES, que é o mecanismo para a criação de chaves de cifra dinâmicas e autenticação. Ele é compatível com produtos que suportem o WPA.

Ao configurarmos o padrão de encriptação, existe também a opção de WPA2 Mixed. O que ela faz é combinar o TKIP com AES, o que permite que dispositivos que utilizam o padrão WPA possam comunicar com dispositivos que utilizam o pdrão WPA2.

Nota: Para uma melhor proteção use uma senha com pelo menos 20 caracteres. E misture sempre letras, números e símbolos.

Esta entrada foi publicada em Segurança com as tags . ligação permanente.

11 Respostas a WEP, WPA (TKIP) e WPA2 (AES): quais as diferenças e qual o melhor?

  1. Helio dj diz:

    bacana foi util pra min.

  2. Diego diz:

    Bacana… foi útil pra mim também!

  3. renata diz:

    achei muito interessante foi curto e explicativo facil de entender

  4. Victor Macedo diz:

    O WAP foi criado em 2033? Apesar do erro foi muito útil pra mim as informações desse post.

  5. pttcrisps diz:

    É mais seguro WPA2 ou WPA2 Mixed? Me veio a cabeça que talvez por o WPA2 Mixed misturar o AES com o TKIP ele seja um pouco mais vulnerável.

  6. A combinação de AES com o TKIP é a forma mas indicada para melhor a encriptação da sua rede empresarial.

  7. Rafael diz:

    opa! tri massa, explicativo e não massante!
    útil, porém ainda estou com dúvida: como posso configurar o modem para que a autenticação não dê erro no note (que a internet só funciona com WEP) e no celular (que a internet não funciona APENAS no modo WEP)?!
    obrigado

  8. Luis Carlos diz:

    Muito legal, me tirou muitas duvidas sobre o assunto, obrigado a quem escreveu…

  9. Raphael diz:

    muito legal

    estou com uma problema com uma rede que esta em TKPI e nao consigo conectar meu ps3 por exemplo ele identifica o IP mas para testar conexao da falha

    como faço para alterar o tipo de segurança

    abraço

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>