Protocolo SIP, qual a sua função e como é composta a sua arquitetura?

O protocolo SIP (Session Initiation Protocol, ou em português Protocolo de Iniciação de Sessão) é um protocolo de controlo para criação, modificação e finalização de sessões multimídia e chamadas telefónicas com um ou mais participantes. Os participantes podem ser convidados para sessões do tipo unicast e multicast. O seu principal objetivo é a comunicação entre dois dispositivos multimídia. Esta comunicação é possível graças a dois protocolos no protocolo SIP: Protocolo RTP (Real-Time Transport Protocol) e o protocolo SDP (Session Description Protocol).
O protocolo RTP é usado no transporte de voz em tempo real e o protocolo SDP é usado para a negociação entre ambas as partes das características de comunicação (exemplo: tipo de codificação, taxa de amostra, entre outros).

Localizado na camada de aplicação (TCP/IP), o protocolo SIP foi modelado para ser independente da camada de transporte, este verifica e retransmite mensagens seja sobre TCP como UDP. Por ser um protocolo de aplicação, devem-se utilizar serviços de algum protocolo de transporte: a utilização do TCP, SCTP (Stream Control Transmission Protocol) ou UDP é possível, sendo a escolha feita de acordo com as necessidades da aplicação.

O protocolo SIP pode convidar utilizadores para participar em uma nova sessão ou para uma sessão multimídia já existente. Ele também reúne o conceito de números de portas fixas para todos os dispositivos e proporciona o uso de servidores proxy, com a preocupação de segurança da rede interna. O protocolo SIP é baseado em texto o que permite sua um fácil implementação com linguagens como: Java, Pearl e outras. Este protocolo tem uma arquitetura similar ao protocolo HTTP (Hypertext Transfer Protocol), ou seja, todas as requisições geradas pelos clientes são enviadas ao servidor. O servidor processa as requisições e então envia as respostas aos clientes.

As principais funcionalidades do protocolo SIP são:

• Localização e disponibilidade do utilizador: proporciona a capacidade de localização do utilizador final para o estabelecimento de uma sessão. Portanto, a mobilidade do utilizador está suportada pelo SIP durante a sessão;
• Capacidade de serviço dos utilizadores: habilita as capacidades de dados dos dispositivos que estabelecem a sessão;
• Início e manutenção de sessão: inicia, administra as modificações, transferências e terminação de uma sessão ativa.

A arquitetura do protocolo SIP

os elementos de uma rede SIP são:
• Agente Usuário: Existem dois tipos de agentes usuários, os quais estão sempre presentes e permitem a comunicação entre cliente e servidor:
o Agente Usuário Cliente (UAC): gera petições e recebe respostas.
o Agente Usuário Servidor (UAS): responde às petições SIP.
• Servidores SIP: existem três classes lógicas de servidores, podendo um servidor pertencer a uma ou mais destas classes, sendo elas:
o Servidor de Registo (Register Server): realiza a operação de correspondência entre os endereços SIP e os endereços IP. Este servidor só aceita mensagens REGISTER, o que facilita a localização de utilizadores, pois o utilizador, onde quer que se encontre, primeiro tem que registar-se neste servidor.
o Servidor Proxy (Proxy Server): recebe requisições e as encaminha para outros servidores que contenham informações mais precisas sobre a localização do utilizador chamado.
o Servidor de Redirecionamento (Redirect Server): recebe requisições e retorna o endereço do servidor para o qual a requisição deverá ser direccionada.

É possível implementar os três tipos de servidores numa só máquina. Podem também ser implementados em máquinas distintas tendo como principal objetivo a escalabilidade ou redução de redistribuição de processamento.

Facebook
Google+
https://faqinformatica.com/protocolo-sip/
LinkedIn
Follow by Email
RSS

Escreva um Comentário